20 Dezembro 2019

Você precisa de recomendações de gramática? Então assista às dicas da professora Carol.

 

Agora que você já sabe qual pode ser a gramática mais adequada para suas necessidades, clique para pesquisar mais e comprar aquela que escolheu:

⇒ INICIANTES 🔑

📍Português essencial

📍Português contemporâneo

📍Gramática fácil 

📍Português básico e essencial – Ensino fundamental 

📍Nova gramática para o Ensino Médio 

⇒ CONCURSO 🔑

📍A gramática para concursos públicos 

📍Nova gramática para concursos

⇒ AVANÇADAS 🔑

📍Novíssima gramática – Cegalla 

📍Nova gramática do português contemporâneo – Celso Cunha 

📍Moderna gramática portuguesa – Bechara 

📍Gramática Houaiss

⇒ DESCRITIVAS 🔑

📍Gramática pedagógica do português brasileiro – Marcos Bagno 

📍Gramática do português brasileiro – Ataliba de Castilho 

Você precisa de recomendações de gramática? Então assista às dicas da professora Carol.   Agora que você já sabe qual pode ser a gramática mais adequada para suas necessidades, clique para pesquisar mais e comprar aquela que escolheu: ⇒ INICIANTES 🔑 📍Português essencial 📍Português contemporâneo 📍Gramática fácil  📍Português básico e essencial – Ensino fundamental  📍Nova […]

Leia mais

escrito por

Nossa missão é combater o preconceito linguístico e dar dicas sobre o padrão da língua, que todos têm o direito de conhecer.



20 Dezembro 2019

O VOLP (que é o vocabulário ortográfico da língua portuguesa) registra RÉVEILLON, com acento, e indica que se trata de um substantivo masculino de origem francesa.

Oficialmente, ainda não há registros de nenhuma forma aportuguesada (como reveion ou reveião).

Além da ortografia, também se discute a necessidade de que a primeira letra seja escrita em caixa alta. Como o Novo Acordo Ortográfico recomenda que nomes de festa sejam escritos com letra inicial maiúscula, devemos preferir “Réveillon” (exemplo: “Onde você costuma passar o Réveillon?”).

Outro detalhe é que, por ser um estrangeirismo usado em sua forma original (sem aportuguesamento), indica-se que o termo seja escrito em itálico (quando possível) ou entre aspas.

O VOLP (que é o vocabulário ortográfico da língua portuguesa) registra RÉVEILLON, com acento, e indica que se trata de um substantivo masculino de origem francesa. Oficialmente, ainda não há registros de nenhuma forma aportuguesada (como reveion ou reveião). Além da ortografia, também se discute a necessidade de que a primeira letra seja escrita em […]

Leia mais

escrito por

Nossa missão é combater o preconceito linguístico e dar dicas sobre o padrão da língua, que todos têm o direito de conhecer.



20 Dezembro 2019

📍COSTA: no singular, refere-se principalmente ao litoral ou beira-mar, mas a palavra também é usada como sinônimo de encosta e ladeira.

📍COSTAS: no plural, refere-se à parte posterior do nosso corpo, dorso, lombo. Aquele estilo de natação feito com a barriga pra cima também recebe esse nome!

 

Com “costas”, toda a concordância deve ser feita no plural. Veja:

👉🏽”Minhas costas doem!”

👉🏽”Passei protetor nas costas, mas mesmo assim elas ficaram muito queimadas.”

 

Já foi corrigido por alguém que perguntou se você tinha mais de uma “costa”? Tsc tsc tsc. 🙄

Uma curiosidade é que, a princípio, a palavra costa (em latim) significava costela. A dor nas costas se referia ao conjunto de costelas. Dizem ser daí que se consagrou o uso no plural.

Agora todo mundo sabe explicar a diferença!

SUPERFÁCIL (tudo junto e sem hífen, lembram?)

Para saber mais sobre esse assunto, assista à explicação do professor Pablo:

📍COSTA: no singular, refere-se principalmente ao litoral ou beira-mar, mas a palavra também é usada como sinônimo de encosta e ladeira. 📍COSTAS: no plural, refere-se à parte posterior do nosso corpo, dorso, lombo. Aquele estilo de natação feito com a barriga pra cima também recebe esse nome!   Com “costas”, toda a concordância deve ser […]

Leia mais

escrito por

Nossa missão é combater o preconceito linguístico e dar dicas sobre o padrão da língua, que todos têm o direito de conhecer.



20 Dezembro 2019

Como o verbo INTERVIR é derivado do verbo VIR, eles são conjugados da mesma maneira. Exemplos:

Eu vim 👉🏽 Eu intervim.

Ele veio 👉🏽 Ele interveio.

Eles vieram 👉🏽 Eles intervieram.

Se eles vierem 👉🏽 Se eles intervierem.

Vale o mesmo para os verbos CONVIR (“Quando isso convier, eu farei”), PROVIR, ADVIR e SOBREVIR, por exemplo.

 

Se você tem dificuldade com a conjugação dos verbos, assista à aula da professora Carol:

 

 

Como o verbo INTERVIR é derivado do verbo VIR, eles são conjugados da mesma maneira. Exemplos: Eu vim 👉🏽 Eu intervim. Ele veio 👉🏽 Ele interveio. Eles vieram 👉🏽 Eles intervieram. Se eles vierem 👉🏽 Se eles intervierem. Vale o mesmo para os verbos CONVIR (“Quando isso convier, eu farei”), PROVIR, ADVIR e SOBREVIR, por […]

Leia mais

escrito por

Nossa missão é combater o preconceito linguístico e dar dicas sobre o padrão da língua, que todos têm o direito de conhecer.